[1]
C. Pinto, «E catou pella nave e nom viu rem, que a noite era muito escura Sobre o estatuto de rem em Português Antigo », rapl, n. 5, pp. 305–324, Nov. 2019.